//Vacinação febre aftosa 2019: campanha começa com mudanças!

Vacinação febre aftosa 2019: campanha começa com mudanças!

Maio é mês de vacinar o rebanho contra a febre aftosa! Confere só:

O mês de maio já começou com movimentação entre os criadores de gado leiteiro: é mês de vacinar o rebanho contra a febre aftosa! O prazo da primeira etapa de vacinação iniciou no dia 1º de maio e segue até dia 31 para os 218 milhões de animais deverão ser imunizados em algumas regiões do país.

Não recebem a vacina em maio apenas os rebanhos do Amapá, que devem vacinar em setembro, e Santa Catarina, que é o único estado brasileiro totalmente livre da doença sem vacinação. A segunda etapa da vacinação, que imuniza apenas animais acima de 24 meses, ocorre em novembro, para a maioria dos estados. Casos especiais ainda vacinam em outros momentos do ano.

Confira o calendário oficial com as datas de vacinação de cada estado clicando aqui

 

ATENÇÃO, quem não vacinar leva multa!

A penalidade é de R$5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada!

 

Mas os perigos de não vacinar vão muito além da multa. A febre aftosa é uma doença altamente contagiosa, que pode causar prejuízos gigantescos e que governo e criadores trabalham há muito tempo para erradicar. A febre aftosa afeta não só os bovinos, mas também búfalos, caprinos, ovinos, suínos e animais silvestres que tiverem casco fendido (duas unhas). Entre os sintomas, estão febre e aftas nas boca, tetos e entre as unhas. O animal ainda tende a se isolar, mancar, babar, ter o pelo arrepiado e consumir menos água e alimentos.

A doença pode ser transmitida através da saliva, do líquido das aftas, do leite ou das fezes dos animais doentes. Qualquer objeto ou pessoa que tenha contato com as fontes de infecção se torna um meio de transmissão para outros animais ou rebanhos. Porém, a transmissão para humanos é muito rara.

Ao verificar os sintomas, o Serviço de Defesa Sanitária Animal de seu estado deve ser imediatamente comunicado. Um profissional veterinário oficial irá inspecionar os animais e tomar as providências necessárias. A febre aftosa pode ser fatal em animais jovens. Os doentes tem dificuldade em se alimentar e enfraquecem muito, o que causa ainda a diminuição da produção de leite.

 

Novas regras:  Em 2019, a vacina contra a febre aftosa tem novo regramento. Passa a ser utilizada a vacina bivalente ao invés da trivalente, onde considera-se apenas os vírus tipo A e O. Também houve alteração no volume da dose, passando de 5 ml para 2 ml.

Os produtores devem fazer a declaração de vacinação do rebanho até o dia 7 de junho, quinto dia útil após a conclusão dos trabalhos de imunização. O formulário de Declaração de Vacinação – Etapa maio estará disponível no site da Agrodefesa (www.agrodefesa.go.gov.br), e deve ser entregue preenchido e assinado junto com a Nota Fiscal Eletrônica da compra das vacinas, sem rasuras, na Unidade Operacional Local da Agrodefesa ou em uma das unidades do Vapt-Vupt/Segplan que possuam atendimento da Agrodefesa no município onde fica a propriedade.

O produtor também pode fazer a declaração pela internet, através do link Declaração de Vacinação, diretamente no www.agrodefesa.go.gov.br, até 7 de junho.

As novas normas foram definidas na Portaria nº 103/2019 da Agrodefesa, publicada no Diário Oficial do Estado no dia 4 de abril de 2019. Para saber mais clique aqui. 

 

Confira algumas recomendações na hora de vacinar o seu rebanho:

  • Mantenha a vacina na temperatura entre 2°C e 8ºC;
  • No momento de aplicação, mantenha as vacinas em bolsa ou caixa térmica com gelo;
  • Nunca congele a vacina;
  • Reúna o rebanho e vacine nas horas mais frescas do dia;
  • Use agulhas novas, afiadas, adequadas e limpas. Troque a agulha a cada 10 aplicações para evitar caroços e inflamações;
  • Vacine na tábua do pescoço do animal, podendo ser subcutânea ou intramuscular;

* A vacina deve ser adquirida em lojas veterinárias licenciadas. Depois da compra, o criador terá 10 dias para comprovar a vacinação em qualquer unidade da Adapec.

Fonte: MAPA/Agrodefesa/G1

 

Quer saber de que forma você pode prevenir o seu rebanho de outras doenças perigosas e que estão diretamente associadas a um manejo correto? Então clique aqui saiba. 

 

Você vai gostar de ler também:

Free-stall: qual o melhor material para utilizar na composição da cama?

Bem-estar animal: o que é fundamental para garantir conforto e maior produtividade?

Estresse: você sabe avaliar a situação do seu rebanho?

De |2019-05-15T09:43:49+00:00maio 14th, 2019|Notícias|0 Comentários

About the Author:

Deixe um Comentário