//Free-stall: qual o melhor material para utilizar na composição da cama?

Free-stall: qual o melhor material para utilizar na composição da cama?

Vem com a G3 Química descobrir como melhorar a sua produção no sistema Free-stall!

 

Hoje, a G3 Química vem falar sobre um dos sistemas de confinamento mais utilizados no Brasil e no mundo: o Free-stall. Você com certeza já ouviu falar desta forma de produção, mas para quem ainda tem dúvidas, no sistema Free-stall as vacas ficam soltas em uma área coberta e cercada, dividida em pelo menos duas partes: uma com baias individuais e outra aberta.

A área aberta serve de espaço para alimentação e exercícios, onde as vacas podem se movimentar e circular livremente em um amplo espaço com fácil acesso à alimentação.  Já a parte dividida em baias é reservada para o descanso dos animais.

Entre os motivos que levam o Free-stall a ser um dos sistemas de confinamento preferido dos produtores estão benefícios como:

  • Conforto aos animais;
  • Custo operacional econômico;
  • Fácil mecanização;
  • Animais se exercitam regularmente;
  • Menor área de repouso necessária quando comparada com a de repouso coletivo;
  • Com camas feitas a partir de material adequado e bem manejadas, as vacas permanecem mais limpas;
  • Alta flexibilidade para controlar o manejo alimentar, como dietas diferentes por lotes.

 

Bem-estar animal: saiba o que é fundamental para garantir conforto e maior produtividade clicando aqui. 

 

Mas para este sistema funcionar da melhor forma e garantir tantas vantagens, existem muitos pontos para se considerar. Dentre eles, o material utilizado para recobrir a cama é um dos mais importantes!

Diversos tipos de materiais podem ser utilizados, entre eles materiais orgânicos e inorgânicos. Vamos aprender um pouco mais sobre cada um?

 

As camas orgânicas no Free-stall:

As camas orgânicas normalmente são constituídas de materiais como casca de café, palha, maravalha, serragem,capim seco, entre outros.

As camas feitas com material orgânico exigem um pouco mais de trabalho e cuidado. Elas precisam ser prensadas muito bem, pois materiais orgânicos costumam reter mais água e, por consequência, apresentam maior chance de proliferação de bactérias, o que pode afetar o conforto térmico dos animais e sua sanidade, através da proliferação de doenças como mastite e problemas de casco.

Outro material orgânico que tem ganho espaço entre os produtores é a cama feita de dejeto reciclado. Esta cama exige mais cuidado, pois os dejetos devem ter sido compostados ou passar por um biodigestor antes de usados, para garantir que não existam riscos de contaminação bacteriana. Apesar disso, o material é considerado uma opção para as camas orgânicas.

 

As camas inorgânicas no Free-stall:

As camas inorgânicas normalmente são constituídas de materiais como areia e borracha.

A cama de areia costuma ser a preferida entre os produtores por garantir grande conforto aos animais, e por ser um material inerte, que garante menor proliferação bacteriana, o que reduz a incidência de mastite. Apesar de considerada mais cara e até de causar certa contaminação ambiental, projetos recentes revelam que é bastante simples reaproveitar este material através da reciclagem e com investimentos relativamente baixos, diminuindo o seu impacto no meio ambiente.

A borracha também tem bastante espaço entre as opções de material inorgânico, porém, para apostar nela deve-se considerar principalmente o planejamento de instalações da propriedade, para o realizar o adequado reaproveitamento de dejetos. No caso da cama de borracha é preciso de um tipo de cobertura, para aumentar o conforto animal. Este tipo de material pode acabar causando algumas lesões nas articulações dos bovinos, porém, isto pode ser evitado e os bons resultados garantidos através de um bom manejo.

Desta forma, podemos concluir que tanto as opções em materiais orgânicos, como as opções inorgânicas, podem ser consideradas para a estrutura de um bom sistema Free-stall, devendo o produtor avaliar individualmente qual material se encaixa melhor em sua demanda, de acordo com a sua possibilidade de investimento, disponibilidade de produto e conforme cada material se adequa melhor à sua mão de obra e sistema de manejo.

 

Sabia que o Free-stall é um excelente aliado da produção leiteira na hora de enfrentar as variações climáticas típicas de algumas regiões do Brasil? Saiba como este sistema pode te ajudar clicando aqui.

 

Quer saber mais sobre o que pode influenciar na sua produção e na saúde e bem-estar dos seus animais? Então continue acompanhando a G3 Química pelas redes sociais para ficar por dentro de tudo o que é novidade do setor leiteiro e também das dicas para otimizar a sua produção! Siga-nos no facebook.com/G3Quimica e no Instagram @g3_produtos.

 

Muito falamos sobre bem-estar animal, mas você sabe avaliar a situação do seu rebanho? Descubra como clicando aqui.

 

Você vai gostar de ler também:

Doenças bovinas: conheça algumas das principais enfermidades que podem atingir o seu rebanho! 

Higiene da sala de ordenha: Boas práticas podem economizar até 30% de água. 

 

De |2019-05-14T11:32:01+00:00abril 12th, 2019|Notícias|0 Comentários

About the Author:

Deixe um Comentário