//Estresse térmico: aprenda como amenizar os efeitos do verão!

Estresse térmico: aprenda como amenizar os efeitos do verão!

Com a chegada do verão, os produtores de leite têm um novo desafio: controlar o estresse térmico, condição que ocorre quando as vacas não conseguem dissipar o calor produzido pelo próprio organismo, e que pode causar diversos efeitos negativos na saúde e na produção dos animais.

Para compreender melhor: a zona de conforto térmico das vacas oscila entre -5 °C e 22°C, e qualquer temperatura acima dessa leva o animal à condição de estresse e desconforto térmico.  Conforme a Embrapa, no Brasil a temperatura média do ar costuma ficar acima de 20ºC, e a máxima acima de 30°C em grande parte do ano em função da sua localização na faixa tropical.

A climatização para gado leiteiro se tornou um dos tópicos mais estudados por pesquisadores nos últimos anos. Mas apesar do extenso conhecimento produzido sobre o assunto, ainda há fazendas que não se adaptaram às condições necessárias para evitar o estresse térmico nos animais.

Confira algumas das medidas que você pode adotar na sua produção para lidar com esta situação:

– Água: forneça água em abundância durante todo o dia, principalmente após a ordenha. Esta água deve ser potável, estar armazenada em bebedouros limpos e dimensionados conforme a quantidade de animais.

– Sombra: os animais também precisam ter sombra para descanso, disponível conforme o tamanho do rebanho. Caso não exista espaço na sombra para todas, as vacas tendem a se aglomerar, o queaumenta o estresse térmico. A área de descanso deve ter no mínimo 80% de sombreamento e 4m² por animal.

– Dieta balanceada:outro fator muito importante para gerenciar o estresse térmico é uma alimentação equilibrada. O excesso de proteínas, por exemplo, tende a aumentar ainda mais o calor gerado pelo rumem e, por consequência, a temperatura corporal do animal.

– Horários: o período entre as 10h e as 16h em média, dependendo da região, é o mais crítico e merece cuidados especiais. Neste momento, a água e a sombra se tornam ainda mais importantes.

– Todos os animais precisam de atenção: as vacas secas ou em pré-parto também sofrem os efeitos do estresse térmico. Nestes animais, a condição pode ser ainda mais preocupante, já que pode acabar comprometendo toda uma lactação.

 

Com a chegada do verão, os produtores de leite têm um novo desafio: controlar o estresse térmico, condição que ocorre quando as vacas não conseguem dissipar o calor produzido pelo próprio organismo, e que pode causar diversos efeitos negativos na saúde e na produção dos animais.

Para compreender melhor: a zona de conforto térmico das vacas oscila entre -5 °C e 22°C, e qualquer temperatura acima dessa leva o animal à condição de estresse e desconforto térmico.  Conforme a Embrapa, no Brasil a temperatura média do ar costuma ficar acima de 20ºC, e a máxima acima de 30°C em grande parte do ano em função da sua localização na faixa tropical.

A climatização para gado leiteiro se tornou um dos tópicos mais estudados por pesquisadores nos últimos anos. Mas apesar do extenso conhecimento produzido sobre o assunto, ainda há fazendas que não se adaptaram às condições necessárias para evitar o estresse térmico nos animais.

Então, fique sempre atento em relação a fatores como água fresca disponível, sombra suficiente para todos os animais, dieta balanceada e horários. Em breve estaremos falando mais sobre as dificuldades do verão para o produtor de leite lá no www.g3quimica.com! Não perca!

De |2019-01-23T14:37:14+00:00janeiro 23rd, 2019|Notícias|0 Comentários

About the Author:

Deixe um Comentário